O Ministério Público de Pernambuco, através do promotor da Justiça e Cidadania, Alexandre Bezerra, solicitou ao Juiz de Direito da 3ª Vara Cível de Garanhuns a interdição provisória do estádio do Sete de Setembro, conhecido como Gigante do Agreste.


De acordo com o promotor foi realizada uma audiência no Ministério Público com representantes da Federação Pernambucana de Futebol, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, AMTT, PROCON, Vigilância Sanitária, Clube de Futebol de Pesqueira e o administrador do Estádio Marco Maciel (Gigante do Agreste).

Na referida audiência foi feito um termo de “ajustamento de conduta”, ficando o Sete de Setembro na obrigação de atender uma série de exigências do Estatuto do Torcedor e do Código de Defesa do Consumidor.

Passado o período para as adequações no estádio, o clube e o administrador do Gigante do Agreste não tomaram qualquer providência, colocando em risco o torcedor que prestigia os jogos em Garanhuns.

O Corpo de Bombeiros apontou diversos itens que não foram cumpridos no Estádio Marco Maciel, como a falta de guarda-corpos em vários setores, ausência de saídas de emergência, falta de sinalização, de extintores, conserto e manutenção dos portões das saídas de emergência dentre outros.

A Polícia Militar aprovou o Gigante do Agreste com restrições, solicitando a retirada de objetos perigosos das dependências do estádio, colocação de cadeados novos na caixa de disjuntores dos refletores, demolição ou isolamento dos banheiros desativados das torcidas visitantes e retirada de cadeiras quebradas do setor específico.

Há ainda restrições feitas pelo Setor de Engenharia. Por tudo isso foi movida a Ação Pública pedindo as providências e feito o pedido de que o estádio seja interditado por 30 dias.


WA: A confirmação da interdição aconteceu hoje pela manhã via @rdjornal

Blog do Wellington Araújo