MENU COM SUBMENU

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Vale a pena conferir: 11 de setembro, dia do árbitro. É para comemorar?



SÁLVIO SPINOLA / Espn.com.br

Não, não é para comemorar.
Mesmo com pessoas honestas, a credibilidade é questionada a qualquer decisão tomada errada no campo.
Reclamações a cada jogo terminado. Técnicos, jogadores, dirigentes e toda comunidade do futebol protesta.
Árbitros agredidos no campo como nunca visto antes em primeiro nível do futebol nacional.
Árbitros denunciados no tribunal, e mesmo a lei obrigando, a arbitragem não tem representatividade no STJD.
Punição pública pela própria entidade que forma e escala.
"Geladeira" a toda rodada.
As conquistas para os profissionais do apito são pífias. Em pleno 2015 as condições de trabalho são desumanas. Não se deve discutir profissionalização e sim as condições de trabalho e a valorização do profissional e da pessoa humana.
Neste 11 de setembro, árbitros estão fazendo curso organizado pela CBF em condições precárias: transporte, hospedagem, alimentação, tudo por conta do próprio árbitro. Nestes cursos, o nível de concentração é zero e a tendência é não aprender nada. Mas a CBF vai registrar na estatística: 27 cursos de arbitragem.
Enquanto não mudar a estrutura e a relação jurídica do árbitro com a entidade, não se pode comemorar este dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário